Página Inicial | QUINTA-FEIRA, 23 DE MAIO DE 2019
Postada por: Jr Lopes dia 14/05/2019
Associação de Capoeira Maré de Dendê é regularizada e atende mais de 40 crianças em Naviraí
Compartilhar Notícia
Projeto social de Capoeira é desenvolvido desde o ano de 2000 em Naviraí (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)


Atendendo atualmente mais de 40 crianças e adolescentes em uma sede cedida pela comunidade do bairro Vila Nova em Naviraí, a Associação Cultural Educacional e Desportiva de Capoeira Maré de Dendê obteve mais uma importante conquista. Na semana passada a entidade, que atua sem fins lucrativos, foi oficialmente legalizada com o registro de Estatuto Social e o CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).

 

Edvaldo Custódio Jorge Cidreira (Mestre Capixaba), que comanda o projeto de inclusão social da Associação Cultural Educacional e Desportiva de Capoeira Maré de Dendê, explicou que esta era uma etapa que há muito tempo era aguardada pela entidade. Ele explica que o apoio do deputado estadual Herculano Borges (SD), um incentivador do esporte no Mato Grosso do Sul, foi fundamental para a legalização da Associação.

 

– Nossos agradecimentos ao deputado Herculano Borges por ter sido nosso parceiro nesta etapa importante do projeto – diz Mestre Capixaba.

 

A Associação Cultural Educacional e Desportiva de Capoeira Maré de Dendê iniciou suas atividades em Naviraí no ano de 2000, quando o projeto era desenvolvido na quadra de esportes da Escola Milton Dias Porto, no bairro Jardim Paraíso, onde permaneceu por cinco anos.

 

Entre os anos de 2005 e 2016, sempre comandadas pelo Mestre Capixaba, as aulas de capoeira passaram a ocorrer nas dependências da Creche Vera de Brida, também no bairro Jardim Paraíso. De 2016 até os dias atuais, o projeto social da Associação Cultural Educacional e Desportiva de Capoeira Maré de Dendê passou a ser desenvolvido na sede localizada na Rua Cantídio Correia da Silva, Nº 1.580, bairro Vila Nova.

 

Para participar das aulas do projeto social é fundamental que a criança ou adolescente esteja matriculado em escola pública, frequentando as aulas e ter boas notas escolares. A clientela atendida pela Associação são, em sua maioria, oriundas dos bairros Vila Alta e Jardim Paraíso e dos residenciais Belo Horizonte e Nelson Trad.

 

– Nossa meta é atender o máximo de crianças preservando a cultura afrodescendente, promovendo a inclusão social através da Capoeira, onde fazemos desta arte um instrumento de socialização – conclui o Mestre Capixaba.


Fonte: Folha de Naviraí







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados